Imprensa

Trechos da critica sobre a X Mostra de Teatro de São Miguel Paulista por  Licko Turle

Vimos acompanhando, há algum tempo, a atuação de grupos e artistas que atuam nos bairros e áreas periféricas da cidade de São Paulo.  Observamos que, ao perceberem o deslocamento da frente de batalha da luta de classes do centro à periferia geográfica da megalópole, os artistas se movimentam em direção à estas áreas de extrema pobreza, extrema degradação urbana, extrema desigualdade social, extrema violência do Estado contra o cidadão: tudo produto do capitalismo extremo!

Não sei se o pioneirismo deste fenômeno sócio-político-urbano deu-se a partir das ações comunitárias e artísticas do grupo Pombas Urbanas, mas, com certeza, seus integrantes foram os primeiros a assumir, divulgar e dar visibilidade a este movimento físico-político do centro de São Paulo para a Zona Leste – especificamente, na Cidade Tiradentes, onde ergueram o espaço “Arte em Construção” (antes, um galpão abandonado que outrora fora umsacolão) -promovendo ali reuniões, encontros, seminários, mostras e atividades de formação artística e política com jovens daquela comunidade, transformando-a em referência para o teatro comunitário no Brasil e na América Latina.

Atualmente, a maioria dos integrantes do Movimento de Teatro de Rua de São Paulo atua em rede, ocupando espaços ociosos e abandonados pelo poder público ou pela iniciativa privada, ressignificando-os como espaços culturais, como o Dolores Boca Aberta, a Brava Companhia e o Buraco D’Oráculo, dentre outros.

Voo de Ícaros –  Circo Teatro Palombar (São Paulo/SP)

O Circo Teatro Palombar – um dos vários “filhos” do Pombas Urbanas – de Cidade Tiradentes, Zona Leste paulistana, nos presenteou com parte do seu  espetáculo que irá estrear em outubro, o Voo de Ícaros: números realizados na báscula[1] ao som de música ao vivo que imprimia um ritmo e uma melodia circular, hipnótica, prendendo os olhos do público nos atores suspensos no ar…  Foi uma apresentação impecável e madura com tudo pensado e calculado milimetricamente: figurinos, música, canto, maquiagem, organização cênica em semicírculo, como no circo de lona tradicional. A trupe literalmente parou o trânsito e o fôlego da plateia, devido à altura e beleza dos saltos. Carros e ônibus urbanos que passavam pelo local, paravam e buzinavam; os passageiros aplaudiam e gritavam, estimulando os circenses. Seus integrantes comentaram, depois, que aquela havia sido a sua primeira apresentação ao ar livre. Incrível!

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Post comment